Braga - a encantadora cidade portuguesa mais antiga que Portugal

November 17, 2019

           

 

 

            Localizada na região do Minho, Braga foi eleita pelo jornal 'The Guardian' a "cidade mais encantadora" de Portugal.  A cultura e a gastronomia estão entre as qualidades destacadas pela publicação britânica.  Além disso, com 86 igrejas, Braga é considerada a capital religiosa de Portugal, a Roma Portuguesa.

            Sem contar os achados do período Neolítico, Braga é a cidade mais antiga de Portugal.  Na verdade ela é mais antiga do que o próprio país.    O local era habitado por celtas chamados brácaros.  No século II a.C., a região foi tomada pelos romanos e Braga foi edificada em 16 a.C., recebendo o nome de Bracara Augusta, em homenagem ao imperador romano Augusto.  Era a maior e mais importante cidade situada no território onde hoje é Portugal e uma das grandes cidades do Império Romano.  O primeiro Bispo de Braga foi designado pelo apóstolo Santiago Maior (esse mesmo, o de Santiago de Compostela).

           No século XI, a cidade foi reorganizada, provavelmente com a nova designação de "Braga". Foi iniciada a construção da muralha citadina e da Sé, por ordem do bispo D. Pedro de Braga, sobre restos de um antigo templo romano dedicado à deusa Ísis, que teria sido convertido numa igreja cristã mais tarde.  A cidade desenvolveu-se em torno da Sé e ficou restrita ao perímetro cercado pela muralha.  Braga foi oferecida como dote por Afonso VI de Leão e Castela à sua filha D. Teresa, no seu casamento com D. Henrique de Borgonha. 

     Neste período Braga foi elevada de bispado a arcebispado e tornou-se importantíssima. Com medo da ascensão da Sé, Diego Gelmírez, arcebispo de Santiago de Compostela, rouba as relíquias dos santos bracarenses na tentativa de diminuir a importância religiosa da cidade. 

           Deste período até os tempos atuais muita coisa mudou em Braga.  A cidade continuou se desenvolvendo durante um longo período e depois passou por um declínio, como várias outras, mas está novamente na crista da onda.  Hoje a cidade está cheia de brasileiros, tanto visitantes quanto moradores, e não à toa ouve-se dizer por lá que o idioma oficial de Braga, no momento, é o "brasileiro".  Bem óbvio, pois a cidade oferece infraestrutura de cidade grande, com a tranquilidade e a segurança de cidades menores, sem contar os preços mais razoáveis do que no Porto ou em Lisboa.

           Muito alegre, Braga tem várias grandes festas durante o ano como o famoso São João, quando a cidade fica linda (e cheia de martelinhos, rs)!  Tomara que você tenha a sorte de estar lá durante alguma delas.  

         Três coisas que eu acho que você não pode deixar de experimentar em Braga são o "Bacalhau à Narcisa" (que a minha mãe faz como ninguém.  Ande o quanto for necessário para encontrar mas não deixe de experimentar), o vinho verde, delicioso e típico da região e que só perde em exportação para o vinho do Porto (se puder tomar um caseiro então...), e o Pudim Abade de Priscos, diferente de qualquer pudim que você já tenha comido, aposto. 

            Difícil é quando seu tio prepara o melhor vinho verde da vida, com as uvas plantadas na casa da vovó, e a sua tia compra tooodos os doces de Braga para o almoço.  Não dá nem pra esperar a foto antes de comer o pastel de natas.

 

 

 

 

          Mas também é preciso experimentar o arroz de pato, as papas de sarrabulho com rojões, os enchidos de sangue, o cabrito à moda de Braga, as frigideiras, o toucinho do céu, o bolo rei escangalhado, fidalguinhos, aaaffffff... muita coisa deliciosa.

          Você ainda pode fazer um bate volta à Guimarães e Viana do Castelo mas há muito o que se ver por lá e, mesmo sendo pequena em extensão, não pense que em um dia conseguirá visitar tudo.

            Braga é uma cidade muito especial para mim pois é a cidade em que minha mãe nasceu e cresceu, por isso vários locais têm um sentido especial.

           

 

 

Para saber sobre o fuso horário de Portugal, clique aqui.

 

 

 

Bom Jesus do Monte

 

 

 

      

              O Santuário do Bom Jesus do Monte é um importantíssimo local religioso, de peregrinação e fé de Portugal.  Sua enorme escadaria, dividida em partes, representa a Via Crucis e possui diversas capelas e três fontes.

 

 

 

 

           É possível chegar lá de carro, subindo pelas escadas ou pelo funicular, o mais antigo ainda em funcionamento no mundo e o mais divertido para as crianças.  Meu filho adora um "elevador que anda de ladinho".

 

 

Fonte do Ídolo

 

 

 

 

                  Trata-se de um santuário rupestre construído na antiga capital de Bracara Augusta, no século I.  É associado ao culto da água e seu uso era para a toda a comunidade.

                  Em granito e com inscrições e figuras esculpidas, é o único monumento da época que está praticamente intacto.

                   Na cidade ainda existem outros pontos de ruínas arqueológicas e termas romanas para visitar.

 

 

Informações 

Visitação: de segunda a sexta, de 9:30h às 13h e de 14 às 17:30h. Sábado, de 11h às 17:30h.

Entrada: €1,85.

 

 

 

Palácio do Raio

 

 

 

 

                   Também chamado de Casa do Mexicano, o bonito edifício de fachada de azulejos fica bem próximo à Fonte do Ídolo. 

                  Construído em 1754, recebeu este nome quando foi comprado por Miguel José Raio, visconde de São Lázaro, que nasceu em Braga mas fez sua fortuna no Brasil.  Em 1863, ele abriu a rua em frente ao palácio, para permitir uma melhor visão da sua casa e poder construir duas habitações para as suas filhas. 

                   A porta e o varandim principal são citados como o melhor exemplar da arquitetura civil bracarense.

 

 

 

 

                 O Palácio do Raio hoje é um museu, o Centro Interpretativo das Memórias da Misericórdia de Braga, pois, no passado, foi também a Santa Casa de Misericórdia.  Expõe máquinas e aparelhos usados nos cuidados médicos, bem como outros utensílios dos antigos hospitais e botica.

 

 

 

Avenida da Liberdade

 

 

 

 

              Saindo do Palácio do Raio você já estará na Avenida da Liberdade, uma via pedonal linda e toda florida. 

              Ali você ainda passará pelo Theatro Circo.

 

 

 

                           Continuando a caminhada você chegará a Praça da República, a principal da cidade, e dali terá uma vista do Santuário do Bom Jesus do Monte.

 

 

 

 

 

                  Do lado oposto ao Bom Jesus começa a Rua do Souto.  Siga por ela.

 

 

Torre de Menagem do Castelo de Braga

 

 

 

             

             Única construção restante das fortificações originais do castelo que ali existiu sob o reinado de D. Dinis e que foi destruído em 1906.  De planta quadrada, em estilo gótico, ergue-se a aproximadamente trinta metros de altura, dividida internamente em três pavimentos.  No alto, uma janela geminada e matacães nos vértices.  No topo uma coroa de ameias.   Na torre e no alçado oeste, as pedras-de-armas de D. Dinis.

 

 

 

 

Paço Episcopal

 

 

             A fachada do antigo Paço Episcopal Bracarense é do século XIV, mas sua construção se prolongou por alguns séculos e foi modificada algumas vezes mais tarde.  Seu interior foi totalmente destruído em um incêndio no século XVIII.  

              Visitar o antigo Paço Arquiepiscopal Bracarense obriga você a conhecer outros pontos turísticos da cidade. São três os lugares de onde você pode avistar suas diferentes fachadas.  A primeira, medieval e mais antiga, conhecida como Paço Medieval de Braga, fica de frente para o lindo Jardim de Santa Bárbara, com uma fonte do século XVII encimada por uma estátua de Santa Bárbara no centro e que pertencia, originalmente, ao antigo Convento dos Remédios.  O jardim é totalmente florido e muito bem cuidado.  Você pode descansar e apreciá-lo em um banquinho onde minha mãe ficava sentadinha, todos os dias, depois do colégio.  <3

           

 

 

       Outro ponto é Largo do Paço, onde hoje estão os edifícios da reitoria e do salão nobre da Universidade do Minho.  No centro está o Chafariz dos Castelos, de 1723.

 

 

 

           A terceira é na Praça do Município.  Foi o arcebispo D. José de Bragança, irmão do rei de Portugal, que mandou edificar, virada para a praça, uma nova ala do Palácio dos arcebispos, em 1751.  Hoje a Biblioteca Pública de Braga ocupa o prédio do Paço.

 

 

         A praça, batizada anteriormente como Campo de Touros, já foi local de touradas e representa o barroco na cidade. Nela estão a Câmara Municipal e a Fonte do Pelicano (que não tem um pelicano, rs).              

           É aqui nesta praça que você vai tirar a foto mais turistona da cidade.

       

 

 

Sé de Braga

 

 

 

 

              Esse é o lugar imperdível da cidade.  Não dá para não ir.  Foi em torno dela que toda a cidade se desenvolveu.

              Fundada por São Tiago Maior, por conta da sua origem apostólica é considerada como Sacrossanta Basílica Primacial da Península Ibérica e foi construída sobre um templo romano dedicado a Ísis. 

                Lá estão sepultados Henrique de Borgonha, conde de Portucale, e sua esposa, Teresa de Leão, pais de D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal.

             Por ser muito antiga e ter sofrido várias restaurações e reconstruções por conta do tempo e de um terremoto, possui alguns estilos arquitetônicos.  Nela há diversas capelas e um pequeno claustro.

                   No museu da catedral está a cruz utilizada na primeira missa no Brasil.

 

 

Informações

Visitação: há três tipos de visita que podem ser feitas no complexo da Sé, com valores diferentes.

Horário: de 9:30h às 12:30h e de 14:30h às 17:30h.  No verão até às 18:30h.

 

 

 

Enjoy!

 

 

 

 

Dicas de Braga | Guia de Braga | O fazer em Braga | Roteiro de 1 ou 2 dias em Braga | O que fazer em Braga | Dicas de Braga

Please reload

Our Recent Posts

Tomar - A cidade medieval dos Cavaleiros Templários

November 20, 2019

O fuso horário na Suíça. Que horas são na Suíça?

November 17, 2019

Braga - a encantadora cidade portuguesa mais antiga que Portugal

November 17, 2019

1/1
Please reload

Tags

Please reload

 

Blog Partiu by Blog Partiu