Our Recent Posts

Tags

Granada - a capital muçulmana da Espanha

Depois de ser ocupada pelos Mouros, Granada teve seu período de ouro durante a dinastia Násrida, quando por cerca de 200 anos artesãos, mercadores, eruditos e cientistas muito fizeram pela cidade, tornando-a um centro de cultura. Depois, sob o reinado cristão, ganhou muitas obras renascentistas e enriqueceu.

Como foi capital dos reinos muçulmanos, guarda muito da cultura e da arquitetura deles, mas ela possui vestígios arqueológicos do século VII a.C.

O centro antigo cerca a Catedral e é um excelente lugar para caminhar por ruelas e encontrar mais belezas.

Você verá muitas casas de chá, então arrisque-se escolhendo algum bem diferente do que você está acostumado. Se não estiver na vibe chazinho, opte por uma sangria, é sempre uma boa pedida! Você também verá pela cidade muitas lojas especializadas em presuntos de todos os tipos e de ótima qualidade. Parecem butiques. Não deixe de experimentar.

Granada é a cidade das tapas, os famosos tira-gostos espanhóis. É bem característico da cidade servir tapas de cortesia para acompanhar sua bebida. Aproveite!



Clique aqui para saber tudo sobre Córdoba



Alhambra



Alhambra é um complexo de fortalezas, palácios e jardins emoldurados por belas muralhas avermelhadas e que foi o centro do poder muçulmano durante séculos, além de ter sido o último bastião da resistência árabe na Espanha. É uma verdadeira joia da arquitetura islâmica na Espanha e, com certeza, o ponto turístico mais emblemático de Granada.

Apesar de ter sido construído com materiais baratos, como gesso, madeira e azulejos, é de um extremo apuro artístico e de uma riqueza de detalhes e trabalhos impressionante. A água é um elemento muito usado nos espaços, assim como a luz natural.

Depois de muito tempo de abandono, foi restaurado e há quem diga que pouco sobrou do original.

É muito grande e merece ser apreciado com calma, por isso é provável que passe quase o dia todo por lá, mas se conseguir ir mais rápido, separe pelo menos 3 horas para explorar o lugar. Para isso não esqueça de levar sua garrafinha de água.

Não deixe de comprar os ingressos antecipadamente, pois a procura é muito grande. Eles possuem hora marcada.

O complexo de Alhambra inclui o Palácio dos Násridas, a Alcabaza, o Palácio de Carlos V, o Generalife e um enorme jardim.


Informações

Endereço:

Visitação: de 1 de Abril a 14 de Outubro, de segunda a domingo, de 8:30h às 20h. De 15 de Outubro a 31 de Março, de segunda a domingo, de 8:30h às 18h.

Entrada: € 14

Há visitas noturnas.



Generalife


No lado norte há um caminho passando pelos Jardines Bajos, que o levará até o Generalife. Ele era o lugar de descanso dos reis násridas. Sua melhor tradução é "o jardim do paraíso elevado". Ele parece um oásis verde em meio a Alhambra.

É constituído por um palácio e vários jardins, passeios e miradouros.


Não deixe de ver o Patio de la Acequia, um jardim oriental em torno de uma piscina, e o Patio de los Cipreses, um lugar lindo, também chamado de Patio de la Sultana, por ser o local onde a mulher do sultão se encontrava com seu amante.

O palácio e os jardins foram construídos durante o reinado de Maomé III (1302–1309) e depois decorados por Ismael I (1313–1324). A maior parte do jardim foi reconstruída recentemente o que levanta suspeitas sobre a sua autenticidade.


Albaicín


Albaicín é a colina em frente à Alhambra e que carrega muito da era mourisca. Ali que as primeiras fortalezas foram construídas, ainda no século XIII. Mais de 30 mesquitas existiam e a maioria das igrejas da cidade foram construídas sobre elas.

Pelo bairro você verá casarões com decoração mourisca e deliciosos jardins cercados por muros altos, são os chamados cármenes.

Essa foto aí de cima é do Paseo de los Tristes, chamado assim pois era por aqui que, anteriormente, passavam cortejos fúnebres para o cemitério. Daqui se tem uma vista incrível para Alhambra e faz parte de uma lista das ruas mais bonitas do mundo!

Não deixe de ir ao Mirador de San Nicolás para ter uma vista ótima de Alhambra e de Sierra Nevada, a estação de esqui que fica a 30 km de Granada.



O bairro ainda concentra a Casa de los Pisa, o Museu Arqueológico, o Convento de Santa Catalina e a Carrera del Darro.

Quer uma dica de amiga? Use o ônibus para subir o bairro, pois fica bem no alto e as ruas são bem íngremes, e volte descendo a pé, percorrendo as ruas e descobrindo lugares escondidos.



O que mais está em Albaicín


- Iglesia de San Gil e Santa Ana

Esta igreja do século XVI possui estilo mudéjar e um bonito portal todo ornamentado. Também foi construída sobre uma antiga mesquita.

Ela está em uma pequena praça que foi anexada a Plaza Nueva, em Albacín mas bem aos pés de Alhambra.

Possui várias capelas nas laterais cobertas com tetos em caixotões mudéjares e uma capela principal coberta por armaduras de laço.



- Plaza Nueva


A antiga praça abriga o Palacio de la Real Chancillería desde 1531 e 1835, quando o Pilar das Ninfas, que a separava da Igreja de Santa Ana, foi destruído por um transbordamento do rio Darro, passou a dividir o mesmo espaço com a praça que abriga a igreja.


- El Bañuelo


Estas são as termas mouriscas de Granada. Construídas no século XI, estão muito conservadas. É uma visita bem rápida e tem uma parte interativa. O mais bonito são as aberturas feitas nas abóbadas que permitem a entrada da luz.



- Sacromonte

Os ciganos de Granada viviam em cavernas escavadas na encosta desta colina. Hoje não há mais ciganos lá mas ainda é possível avistar seus abrigos de vários pontos da cidade.

No topo da colina de Sacromonte está a Abadia del Sacromonte, que é um monastério beneditino. Ali estão conservadas as cinzas do padroeiro de Granada, São Cecílio.



A Catedral de Granada


A Catedral da Encarnação foi construída, em estilo gótico, a pedido dos reis católicos. Na verdade, a primeira catedral da cidade havia sido construída em outro local e depois foi transferida para onde está hoje. Demorou 181 anos para ser concluída e possui

A Catedral possui diversas capelas em seu interior, a Capela de Nossa Senhora do Pilar de Saragoça, a Capela de Nossa Senhora do Carmen, a Capela de Nossa Senhora das Angústias, a Capela de Nossa Senhora a Antiga, a Capela de Santa Lúcia, a Capela do Cristo das Dores, a Capela de Santa Teresa, a Capela de San Blás, a Capela de San Cecílio, a Capela de San Sebastián, a Capela da Santa Ana, a Capela da Santíssima Trindade, a Capela de São Miguel Arcanjo e a especial Capela Real, que fica em um anexo.



Para saber tudo seobre a Catedral de Sevilha e La Giralda, clique aqui.



Informações

Endereço: Gran Vía de Colón, 5

Visitação: de segunda a sábado, de 10h às 18:30h, domingos e feriados, de 15h às 17:45h.

Entrada: € 5 com audioguide. Domingo, gratuito.



A Capela Real



Anexada à catedral está a Capela Real, local que guarda os restos mortais de Isabel e seu marido, Fernando, os reis católicos. Na entrada repare nas lindas pinturas. Já dentro da capela, há uma coleção pessoal da rainha com obras de artistas espanhóis, italianos e flamengos. Uma linda grade cerca o altar-mor. Ali você também verá a espada de Fernando e a coroa e o cetro de Isabel. Na cripta estão as tumbas do casal real. Estátuas em mármore de carrara de Fernando, Isabel, a filha Joana, a Louca, e seu marido, Filipe, o Belo enfeitam o lugar. Passando pelos arcos de pedra você chegará ao museu da catedral onde está uma coleção de esculturas e joias, entre outras coisas. Na sacristia, quadros de Botticelli esperam por você.


Informações

Visitação: de segunda à sábado, de 10:15h às 18:30h, domingos e festividades religiosas, de 11h às 18h.

Entrada: € 5. Ingressos separados dos da visita à Catedral.



Palacio de la Madraza


O prédio já foi a prefeitura, a universidade árabe e hoje é a Universidade de Granada. Sua fachada é do século XVIII e no interior há um lindo saguão mourisco.

Fica colado na entrada da Capilla Real.



Plaza Bib-Rambla



Esta é uma praça histórica de Granada, cuja origem remonta à Idade Média. O comércio na cidade medieval concentrava-se, principalmente, no emaranhado de ruelas das vizinhas Alcaicería, antigo mercado de seda, e Zacatín.

A praça foi também palco de autos de fé da Inquisição, onde foi decidido o destino de muitos cidadãos e onde foram queimados muitos manuscritos árabes, principalmente cópias do Alcorão. Acredita-se que foi queimado um milhão de obras em Granada, aproximadamente.

Hoje a praça possui alguns restaurantes ao seu redor.



Alcaiceria



O antigo souk onde a seda era feita e vendida, hoje abriga lojas de artesãos locais. O Grande Bazar que se estendia desde a Plaza Nueva até Bib Rambla, no meio da medina islâmica, hoje está bem concentrado em algumas ruelas próximas à catedral.

O mercado é bem colorido e ainda se vê bastante produto da cultura árabe, mas, sinceramente, o que eu mais vi foi selinho "made in China".

As caixas de marchetaria são maravilhosas, de todos os tamanhos, cores e preços. Impossível não trazer uma com você.

A visita, claro, vale muito a pena e a negociação também faz parte do pacote.



Calle de las Teterias


As casas de chá são uma tradição em Granada e algumas são um verdadeiro tesouro. Eleja uma para tomar um chá árabe bem exótico. A Calle Caldereria Nueva concentra restaurantes e casas de chá e ainda tem cara de Arábia.



Pátio do Corral del Carbón



Esta relíquia da era Moura é um pátio com galerias que abriga um centro cultural. Já foi um teatro na era dos reis católicos e uma bolsa de carvão. Antes disso, na era násrida, servia de pousada para os comerciantes em trânsito, armazém e atacado.



Real Monastério de São Jerônimo


Construído a pedido dos reis católicos, a igreja possui um retábulo lindo e é ricamente decorada.

O mosteiro possui dois claustros com jardins no meio. O renascentista guarda os restos mortais de Dom Gonzalo, protegido de Isabel I, e o segundo claustro é a clausura das freiras jerónimas.

Para saber tudo sobre Zaragoza, clique aqui.

Informações

Endereço: Calle Rector López Argüeta 9

Visitação: diariamente, de 10h às 13:30h e de 16 às 19:30h.

Entrada: € 4. Visita guiada, € 7.



Enjoy!


O que fazer em Granada | Dicas de Granada | Roteiro de viagem para Granada | Espanha |



  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn

Blog Partiu by Blog Partiu