Our Recent Posts

Tags

Luxemburgo - a Gibraltar do Norte


Se você está pensando em ir à Belgica, à França ou à Alemanha, o Grão Ducado de Luxemburgo, único do mundo, é um lugar legal para incluir no seu roteiro.

A cidade de Luxemburgo, capital do país, é uma das cidades mais ricas da Europa e também parece saída de um livro de histórias.

Castelos, construções medievais, pontes, muito verde e tranquilidade, se misturam com uma cidade moderna, muito bem estruturada, limpa e com transporte público muito eficiente.

A cidade foi construída no alto de um penhasco e a área turística s mais turísticas está na Ville Haute, que é a Cidade Alta, na Ville Basse ou Grund, que é a Cidade Baixa e na Kirchberg, onde estão os prédios da União Europeia e a Universidade de Luxemburgo.

Se prepare para andar. Uma parte do que tem para se ver na cidade vai depender de caminhada, caso queira ver de perto como eram as coisas por lá antigamente.

Aos sábados o transporte público é de graça e a cidade tem free Wi-fi excelente.

Muitos restaurantes precisam de reserva para o jantar e alguns, mesmo vazios, não aceitam cliente para almoçar sem reserva. Vários também não abrem aos domingos.

O Grão-ducado é conhecido por seus vinhos brancos do Vale do Mosela. Riesling, Pinot Gris, Pinot Blanc, Rivaner e Elbling.

Em muitos lugares você vai ler "Mir wölle bleiwe wat mir sin", que significa: “Queremos continuar como somos” e se deparar com muitas homenagens à Grã-duquesa Charlotte, que viveu de 1896 a 1985, e é venerada pela população.

Place d’Armes

O antigo campo de parada para as tropas hoje é a praça central da cidade velha. É onde está o prédio chamado de Cercle Municipal, que uma ponte ao prédio ao lado chamado de Le Cité. Na outra ponta da praça está o Monumento Dicks-Lentz, os dois poetas que escreveram a letra do hino nacional. No topo do monumento está um leão, que representa o Grão-Ducado e há também um ferreiro que simboliza a indústria do aço.

A praça também recebe a famosas feira de Natal da cidade. Eu esperava uma praça mais pomposa, mas é um bom lugar para você começar o seu roteiro.


Place de la Constituition

A pequena praça construída sobre a antiga fortaleza Beck possui uma estátua famosa na cidade.

A Gëlle Fra, ou Mulher de Ouro, é monumento dedicado aos voluntários luxemburgueses que lutaram com o exército francês na Primeira Guerra Mundial. Na base do monumento, uma escultura representando um soldado em luto pela morte do seu compatriota a serviço do país enquanto, no topo do obelisco, está a Mulher de Ouro, Nike, a deusa da vitória, feita em bronze coloca uma coroa sobre a cabeça dos soldados e da nação. O monumento serve para simbolizar a liberdade e resistência do povo de Luxemburgo.

É desta praça que você vai tirar uma das fotos lindas mais do lugar. Dali você avista a Ponte Adolphe e o Vale Pétrusse.

Em volta há alguns food trucks com fries e salsichas.

No período em que estivemos na cidade estava instalado aí o City Skyliner, a maior torre de observação móvel do mundo. O visual 360° é incrível e rende boas fotos. Além disso, havia um lounge com umas bebidinhas.


As Casemates de la Pétrusse


As Casamates são túneis subterrâneos que escondiam os soldados da época em que os espanhóis modernizaram as estruturas medievais e construíram grandes bastiões, como o de Beck, cuja plataforma é ocupada pela atual Place de la Constitution.

Esta obra é uma das poucas fortificações de Luxemburgo que foram preservadas. Após a fortaleza ter sido desmantelada em 1867, as janelas e a maioria das entradas foram fechadas.

Durante o passeio, aprecie a vista de diferentes ângulos através das janelas. O percurso não é fácil, tem partes escuras, pois possui escadas em caracol, buracos e piso desnivelado. Quem tem claustrofobia talvez deva pensar bem antes de ir. Pegue um guia na entrada.

As casamates estão fechadas temporariamente.



Ponte Adolphe



A ponte de arco é o cartão postal de Luxemburgo. Construída entre 1900 e 1903 e batizada em homenagem ao Grão-Duque Adolfo, já foi considerada a maior ponte de arco construída com pedra do mundo com seu comprimento de 153 metros.

A ponte está acima do Vallée de la Pétrusse, dividindo a cidade de Luxemburgo em duas, a Cidade Alta e a Plateau Bourbon.

Possui uma passagem exclusiva para pedestres por baixo dela, de onde você consegue avistar a cidade. Você pode acessar a ponte pela escada por um caminho curto pelo vale. Esse foi meu caminho escolhido para atravessar empurrando um carrinho de bebê embaixo de um sol de rachar a cabeça.

Se quiser, também pode passar de um lado a outro por baixo da ponte. É muito bonito.




Catedral de Notre-Dame



Esta Catedral possui características renascentista e barroca em seus adornos e fachada gótica e foi construída entre 1613 e 1621 para servir como igreja do colégio jesuíta, que se situava ao lado, onde atualmente está Biblioteca Nacional. No final do século XVIII, a igreja recebeu a imagem milagrosa da Virgem Maria Consolatrix Afflictorum, a santa padroeira da cidade e do país.

No portão principal de estilo barroco primitivo há uma estátua da Virgem cercada pelos Apóstolos Pedro e Paulo, e Inácio de Loyola e Francisco Xavier, fundadores da Companhia de Jesus. Posteriormente, uma estátua de São Nicolau completou o conjunto. Na entrada lateral há uma bonita porta de bronze.

No cemitério da catedral está o monumento nacional da Resistência e da Deportação. A peça central do monumento de bronze é chamada de o Prisioneiro Político.

Possui duas capelas laterais e belos vitrais.


Informações

Visitação: diariamente, de 10h às 12h e de 14 às 17:30h

Entrada: gratuita


Place Clairefountaine



A praça está cercada de prédios importantes da cidade. Dali você verá a Catedral de Notre Dame, a Câmara dos Deputados, o Ministério dos Negócios Estrangeiros e a sede do Ministério do Estado. No centro há uma escultura em homenagem a Grã-duquesa Charlotte.



Place Guillaume II



A praça, que anteriormente foi um mosteiro franciscano, abriga um monumento equestre do Rei do Grão-Ducado, Guglielmo II e o Hotel de Ville, que é a Prefeitura de Luxemburgo.

Ali também está o escritório de turismo da cidade, onde você pode retirar um mapa ou seguir em um walking tour em inglê, gratuito que sai todos os dias às 14h.



Palácio Grão-ducal



O palácio, que foi construído em estilo renascentista espanhol para servir de Câmara Municipal, hoje é a residência oficial do grão-duque. Durante a ocupação alemã, na Segunda Guerra Mundial, o Palácio Grão-ducal foi usado como estalagem e salão de concerto pelos nazistas. Nesse período muitas mobílias e obras de arte do palácio foram destruídas. Com o fim da guerra e o regresso da grã-duquesa Charlotte, o palácio tornou-se novamente a sede da corte.

A ala esquerda é mais antiga, data do século XVI mas outras alas foram construídas depois disso e por isso mistura os estilos barroco e renascentista.

Bem em frente tem uma Chocolate House, a chocolateria já conhecida pelas colherinhas com a ponta de chocolate para você preparar seu chocolate quente.


Informações

Endereço: Rue du Marché-aux-Herbes, 17

Visitação: de segunda a sábado, de 9h às 18h.

Entrada: €10.



Chamber of Deputies



A Câmara de Deputados, é o antigo Parlamento de Luxemburgo.

É possível observar as colunas nas extremidades do prédio com três anjos, simbolizando o poder legislativo, que é administrado pelo Grã-duque ou Grã-Duquesa em conjunto com a câmara dos deputados.

Fica ao lado do Palácio Grão-Ducal, como uma continuidade do prédio.



Igreja Saint Michel



Essa pequena e rústica igreja é a mais antiga da cidade. A primeira igreja foi construída no local em 987, como a capela do castelo para o Conde de Luxemburgo. Ao longo dos séculos o edifício foi destruído, reconstruído e renovado várias vezes.


Informações

Endereço: Rue Sigefroi

Entrada: gratuita



Bock



Foi aqui que Luxemburgo começou. Bock é o nome de um promontório que fica localizado na região da Corniche, que fornece fortificação natural, com suas falésias rochosas às margens do Rio Alzette. Em 963, o Conde Siegfried construiu o castelo Lucilinburhuc no promontório Bock, que, mais tarde, se tornou Luxemburgo. O local foi atacado muitas vezes, sempre resistindo. Em 1794, o local recebeu o título “Gibraltar do Norte”, por sua posição estratégica, que dificultava invasões, e pela resistência da construção mesmo após tantos ataques e a rendição da tropas. As ruínas do antigo castelo seus túneis e galerias subterrâneas, chamadas de casamatas, tornaram-se uma das mais importantes atrações turísticas da cidade.



Cassemates du Bock



Esses 23 km de túneis cavados na montanha, dentro da muralha do século XIV que rodeia a cidade, serviam como passagem e defesa. Foram ampliadas apenas 40 anos depois por Vauban, o engenheiro militar francês e construtor de fortalezas, e no século XVIII pelos austríacos. As passagens subterrâneas defensivas foram colocadas em diferentes níveis e chegaram a 40 metros. Após o desmantelamento da fortaleza em 1867, 17 quilômetros das casamatas foram poupados e deixados em boas condições, como as Cassemates de la Pétrusse.

Estão construídas abaixo das ruínas do Castelo de Luxemburgo. Uma das coisas mais bacanas para se fazer por lá é andar por esses túneis e sair nas “janelas” para ter vistas incríveis da cidade.


Informações

Endereço: 10 Montée de Clausen, Luxemburgo

Visitação: diariamente, de abril a setembro, de 10h às 20:30h e de outubro a março, de 10h às 17h

Entrada: € 6 adultos, € 5 estudantes, idosos, adultos em grupo e € 3 crianças.

Corniche



Deste ponto você também terá uma vista lindíssima. Não à toa é chamada de "a varanda mais bonita da Europa", de onde é possível ver toda a cidade baixa de Luxemburgo, cortada pelo rio, o Bock, uma fortificação natural e o centro histórico.

Ao lado do rio é possível ver as vinhas que são utilizadas em uma pequena produção de vinhos, com cerca de 200 garrafas apenas, utilizados pelo Ministro em recepções. Você avistará também as casamatas.

O Pétrusse Express e as linhas 9, 14, 20 de ônibus param a apenas 100 metros da rua.



Grund


O distrito de Grund é para ser apreciado com calma. Esqueça o mapa por um tempo e caminhe pelas estreitas ruas apreciando as pequenas casas que beiram o rio Alzette. Esta área da cidade está incrustada no vale cortado pelo rio e é lindíssima.

É bacana descer pelo vale caminhando, mas ônibus e o Pétrusse Express também passam por ali. No final, se não quiser enfrentar a subida acentuada para retornar, use o elevador que liga o Grund ao centro da Cidade do Luxemburgo e que fica na rue Münster, no final de uma galeria. Ele é gratuito e te levará ao Palácio da Justiça e aos prédios do Arquivo Nacional de Luxemburgo.

O Grund abriga um restaurante com uma estrela Michelin.



Abadia de Neumünster



A "Nova Abadia", que foi construída no Grund após a beneditina que ficava no Altmünster Plateau ser destruída, atualmente, é um lugar de eventos públicos e centro cultural. Já foi usada para diversos fins como delegacia e prisão dos opositores dos nazistas na invasão de Luxemburgo pela Alemanha.



Igreja Saint Jean du Grund



A primeira menção de um local de culto neste lugar remonta ao século XIV. Em 1309, o futuro imperador Henry VII e sua esposa, Margaret decidiram estabelecer uma igreja com um hospital neste lugar. A igreja foi dedicada à Virgem Maria e a São João Batista. Durante o século XVI, os monges beneditinos de Altmünster se estabeleceram no Grund e a igreja do hospital foi integrada ao novo complexo da Abadia de Neumünster. Entre 1606 e 1618 uma nova igreja foi construída mas foi destruída durante o cerco à fortaleza. A pequena igreja atual é do século XVII e sua mobília não é a original, elas foram sendo retiradas de outras igrejas após a Revolução Francesa.

Possui uma Madonna negra e um órgão de 1710.

Caso esteja de carro, pode estacionar em frente à ela.


Informações

Endereço: Rue Münster

Visitação: diariamente, de 10h às 12h e de 14h às 18h.

Entrada: gratuita



Escultura da sereia Melusina

Em frente à Abadia está a escultura de Melusina.

Segundo a lenda, vive dentro do rio Alzette uma sereia que se tornou esposa de Siegfried, o primeiro conde de Luxemburgo, após usar seu poder de transformação. Quando Siegfried descobriu que estava casado com uma ninfa, encarcerou-a na fortificação do Bock, onde vivia. A sereia reaparecia de sete em sete anos.


Enjoy!